ÁGUA COM LIMÃO, GLUTAMINA E GRATIDÃO

Uma “paródia” criada um tempinho atrás que merece uma retaliação (só pra combinar com gratidão!)

Vamos analisar:

Na prática clínica, quando se usa limão em jejum ao acordar, além de melhorar a imunidade, por ter vitamina C, também é perceptível a melhora no funcionamento intestinal, na secreção enzimática, na melhora da digestão, dos gases / flatulência e amenização da sensação de queimação, ou de azia no estômago.

Quando se usa glutamina, principalmente em síndromes intestinais, percebe-se melhora da permeabilidade intestinal, da saúde dos enterócitos (células intestinais) e da imunidade.

Quando aprendemos a agradecer a simplesmente TUDO que aconteceu em nossas vidas, somos verdadeiramente gratos e essa GRATIDÃO sincera é a que nos transforma e nos ajuda a evoluirmos aqui nesse plano. Essa gratidão nos traz equilíbrio, paz, harmonia e saúde.

Então, só por essa pequena análise podemos concluir que:

ÁGUA COM LIMÃO, GLUTAMINA E GRATIDÃO pode ser excelente para quem quer ser verdadeiramente saudável, desde a mente, até o intestino!

E você, já tomou sua água com limão hoje agradecendo por mais um dia de vida e de saúde?

 

COMO “CURAR” UMA ENDOMETRIOSE

COMO “CURAR” UMA ENDOMETRIOSE 😱🤭
 
Vou listar uns passos MUITO IMPORTANTES que tomei em busca da remissão da ENDOMETRIOSE e que estão dando SUPER CERTO!!
Talvez possa ajudar você que também sofre desse problema, suas amigas e outras mulheres, então, vou pedir um favorzinho: me ajude a divulgar isso: é muito importante e estaremos fazendo um bem danado para outras pessoas!
🍉🤩
– alimentação para controle da umidade, do frio e da estagnação (são os termos usados pela medicina tradicional chinesa, não me culpem… rs)
– melhorar a microbiota intestinal (probióticos / prebióticos)
– observar possíveis deficiências de vitaminas / minerais como a D, B12, ferro e ferritina…
– fazer sessões periódicas de acupuntura segundo a visão da Medicina Tradicional Chinesa
– possivelmente usar florais quânticos (vai da orientação do profissional)
– iniciar o consumo da babosa (misturinha para controle de umidade e remissão da endometriose, miomas ou outras situações)
– trabalhar a mente: terapia com psicólogo e / ou outras modalidades
– meditar mais: eu aumentei as minhas meditações para 3x por semana, no mínimo
– fazer yoga (tanto práticas quanto meditação) – façam isso pessoal toda semana – a yoga muda a nossa postura perante a vida!
– preocupar-se menos com certas coisas desnecessárias e cuidar mais de si mesma (eleve seu amor próprio ao maior nível possível!)
🍉🤩
A endometriose não é uma doença apenas física, assim como todas as outras: ela tem um fundo emocional e de desequilíbrio que pode sim ser “tratado” por todos esses fatores que listei acima, com melhoras importantes na evolução da doença independentemente do uso do hormônio prescrito pelo seu médico.

SAGA ENDOMETRIOSE parte II – ALIMENTAÇÃO, SUPLEMENTAÇÃO E PROBIÓTICOS

Você que me acompanha aqui nas redes sociais sabe que venho falando um pouco mais sobre endometriose já que descobri esse ano que tenho essa condição clínica, e, fui atrás de tratamentos não tão convencionais mas os resultados tem sido tão positivos que preciso compartilhar isso com vocês, principalmente com as mulheres que sofrem do mesmo mal.

No post anterior falamos sobre endometriose e o perfil emocional e psicológico da mulher que apresenta essa manifestação corporal e vimos que o trabalho terapêutico é mudar algumas características relacionadas com a condição mais yang dessa mulher.

Hoje falaremos mais sobre as técnicas complementares que podem (e devem) ser utilizadas como “tratamento coadjuvante” mas não menos importante dessa situação. Afinal, a endometriose continuará se desenvolvendo se a mulher não cuidar e tratar a causa, ou seja, só hormônios não vão fazer essa condição parar de evoluir.

Vou listar 3 metodologias que tenho visto serem positivas no tratamento da endometriose:
– mudança na alimentação e suplementação de vitamina D
– acupuntura
– introdução de probióticos e flora intestinal

Se a alimentação estiver rica em glúten, gorduras e açúcares, aditivos e produtos industrializados a microbiota intestinal estará desregulada e favorecendo a doença, uma vez que a endometriose tem uma relação estreita com o intestino.
A microbiota precisa estar em equilíbrio entre as bactérias gram positivas e as gram negativas, e a alimentação correta, com fibras e com poucos (ou nenhum) alimentos que geram muita fermentação e inflamação, favorecem essa situação e reduzem o que chamamos de disbiose.

A introdução de probióticos faz parte desse processo, pois já sabemos que sua função no corpo é ampla, podendo ser usadas cepas mais específicas com função ginecológica e com função de melhora dos sintomas intestinais (como intolerância a gluten, a lactose, disbiose, flatulência em excesso, distensão abdominal, entre outros).

Quando se respeita o corpo dentro da condição clínica que ele apresenta, e se promove mudanças favorecendo a redução, controle ou remissão da doença, é bem possível que grandes resultados possam aparecer: a dieta correta para essa condição clínica, a retirada de certos alimentos que pioram a parte intestinal e consequentemente a endometriose, assim como a introdução de alimentos, de suplementos como a vitamina D e de probióticos que auxiliam no processo é metodologia certa para uma melhora na qualidade de vida dessa paciente.

Já sobre acupuntura, falaremos no próximo post. Aguardem!